Nota de Solidariedade do Grupo de Pesquisa Redes Indígenas à comunidade do Museu Nacional-UFRJ.

NOTA DE SOLIDARIEDADE DO GRUPO DE PESQUISA REDES
INDÍGENAS (UEA) À COMUNIDADE DO MUSEU NACIONAL/UFRJ

O Grupo de Pesquisa Redes Indígenas: povos indígenas e redes educativas da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) manifesta sua solidariedade à comunidade do Museu Nacional/UFRJ diante da tragédia ocorrida no último domingo (02/09/2018). As chamas que atingiram o Museu Nacional espalham cinzas, fuligem e queimam muito além daquele espaçotempo que foi possível ver pela televisão. Nosso grupo de pesquisa também foi atingido pelas chamas e precisamos nos reerguer em meio às cinzas. Atuamos em parceira com o Museu Nacional/UFRJ no Projeto “Os Brasis e Suas Memórias” coordenado pelo Prof. Dr. João Pacheco de Oliveira. Apesar de ainda recente e pequeno, nosso grupo de pesquisa foi forjado a partir de nossas experiências como docentes no Amazonas e na convivência que partilhamos durante o ano de 2017 no Museu Nacional. Muitos indígenas do Estado do Amazonas são estudantes de Pós-graduação nos Programas de Pós Graduação em Antropologia (PPGAS) e no Mestrado Profissional em Linguística e Línguas Indígenas (PROFLIND). São muitas vidas queimadas. Manifestamos ainda nossa indignação contra o descaso de sucessivos governos à Ciência, à Tecnologia e à Cultura. Indignação que se assevera e intensifica contra o governo ilegítimo que aprovou após o GOLPE de 2016 a PEC que congela por 20 anos os investimentos públicos. Declaramos todo nosso apoio à comunidade do Museu Nacional e à atual Reitoria da UFRJ. As perdas são irreparáveis, mas esperamos que as ações futuras sejam dialogadas com toda a comunidade e que o Museu Nacional possa renascer como um espaçotempo público, tal como era.

Tabatinga, 04 de setembro de 2018.

Grupo de Pesquisa Redes Indígenas
Centro de Estudos Superiores de Tabatinga
Universidade do Estado do Amazonas

 

Clique aqui e acesse a nota em PDF

Leia Também