Manifestação de entidades científicas por mais discussão sobre projetos de lei que tratam de desinformação, liberdade, responsabilidade e transparência na Internet

​As entidades científicas que assinam esta nota entendem a importância de se discutir formas de controle social sobre as plataformas digitais de informação e comunicação, tendo em vista o papel crucial da utilização delas até mesmo para definição na ordem da política institucional de diferentes países do mundo, o que envolve com maior preocupação pública a difusão de desinformação – que, no cenário atual, pode ser vista como uma política deliberada para finalidades não explicitadas, capaz de definir eleições.

Tramitam com prioridade no Congresso Nacional os Projetos de Lei 2630 e 1429, ambos de 2020, sobre os processos de desinformação, liberdade, responsabilidade e transparência na Internet. Mas entendemos ser necessário uma ampliação do debate sobre eles, de maneira a não permitir possíveis consequências nefastas à liberdade de expressão e à transparência na internet.

Esse posicionamento segue os argumentos apresentados em nota pública pelo CGI.br, que conta com representação da Comunidade Científica e Tecnológica (https://www.cgi.br/esclarecimentos/ver/nota-publica-sobre-projetos-de-lei-que-tratam-dos-processos-de-desinformacao-liberdade-responsabilidade-e-transparencia-na-internet.pdf), ao considerar quatro pontos extremamente necessários para serem observados e discutidos com profundidade: gerenciamento e moderação de conteúdos pelos provedores que atuam na Internet; distintos agentes com interesse sobre o tema; complexidades conceituais e técnicas envolvidas pelos projetos de lei; e prováveis consequências a direitos fundamentais como a liberdade de expressão e vedação à censura.

Assim, as entidades abaixo-assinadas se manifestam neste momento para que sejam ampliados e aprofundados os debates com as entidades acadêmicas com pesquisas nessas áreas, o Comitê Gestor de Internet no Brasil (CGI.br), coletivos da sociedade civil que defendem os direitos no uso da internet e todos os agentes interessados, antes que matéria de tamanha relevância para a garantia das instituições democráticas do país seja votada.

Aracaju-SE, 02 de junho de 2020

Assinam o manifesto:

Ulepicc-Brasil (capítulo brasileiro da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura)

Socicom – Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas da Comunicação

ABPEducom – Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais da Educomunicação

Compós – Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Comunicação

SBPJor – Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo

ABEJ – Associação Brasileira de Ensinos de Jornalismo

ANPOCS – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Ciências Sociais

ANPTECRE – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Teologia e Ciências da Religião

ANPOLL – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística

SBEC – Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos

SBEnBio – Associação Brasileira de Ensino de Biologia

SBS – Sociedade Brasileira de Sociologia

Rede FOLKCOM – Rede de Estudos e Pesquisa em Folkcomunicação

ABPCom – Associação Brasileira de Pesquisadores e Comunicadores em Comunicação Popular, Comunitária e Cidadã

SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

ABA – Associação Brasileira de Antropologia

ANPUR – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional

SBEM Nacional – Sociedade Brasileira de Educação Matemática

ANPEd – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação

Leia Também

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Posicionamentos da ANPEd

Educação

Posicionamentos da ANPEd

Educação