Históri@ Illustrada: Obras publicadas exclusivamente em formato digital divulgam pesquisas de história social da cultura

As origens do samba há cerca de cem anos, a trajetória de um literato que se tornou um dos pioneiros da publicidade no Brasil em plena Belle Époque carioca e as expressões musicais criadas por descendentes de africanos escravizados no Brasil e nos Estados Unidos entre o final do século XIX e o início do XX são os temas dos três primeiros volumes da coleção Históri@ Illustrada, publicada pela Editora da Unicamp.

A coleção é composta exclusivamente por ebooks (na linguagem e-Pub) e tem como objetivo divulgar pesquisas nas áreas da História Social e da Cultura. O formato digital permite a combinação de documentos textuais, iconográficos e sonoros de modo a colocar o leitor em contato direto com músicas, fotografias, obras de arte, vídeos etc.

O objetivo é aumentar o envolvimento na leitura, ampliar o diálogo entre a análise histórica e as fontes utilizadas, além de tornar as pesquisas mais interessantes para o público não especializado.

“Ao unir texto, imagem e som, os e-Pubs permitem acesso direto, livre de mediações ou interferências, a fontes não textuais - como as músicas, as artes plásticas, a fotografia etc.”, explica a historiadora Silvia Lara, coordenadora da coleção e pesquisadora do Centro de Pesquisa em História Social da Cultura (CECULT) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). “A leitura, enriquecida com ilustrações capazes de dialogar com a narrativa, aumenta o envolvimento do leitor e torna-se mais acessível para o público não especializado”, complementa a historiadora.

Ênfase na educação

Além de propor uma nova maneira de ler, a coleção Históri@ Illustrada mantém um diálogo importante com as práticas de ensino e aprendizagem: cada livro é acompanhado por um vídeo disponível no YouTube, que pode ser utilizado por professores em sala de aula e outras ocasiões de discussão sobre o tema.

O volume inaugural da coleção é “Não tá sopa”: sambas e sambistas no Rio de Janeiro, de 1890 a 1930, de Maria Clementina Pereira Cunha. A obra aborda o momento em que, há mais de cem anos, frequentadores das rodas de samba da Cidade Nova e do Estácio começaram a despontar como nomes conhecidos e, depois, a vender e a gravar suas composições. O vídeo que acompanha essa obra, Sambas e Sambistas, tem duração de 7min55.

O segundo volume da coleção é de autoria de Marcelo Balaban, Estilo moderno: Humor, literatura e publicidade em Bastos Tigre. A obra investiga a trajetória do literato Manuel Bastos Tigre, literato que se destacou na cena cultural do Rio de Janeiro no começo do século XX, por uma produção diversificada e afinada com o ideário da Modernidade: escreveu incontáveis poemas humorísticos, foi autor de peças teatrais, contumaz jornalista, militante da causa dos direitos autorais e um pioneiro da publicidade no Brasil. Sua carreira profissional ajuda a desvendar os dilemas políticos, sociais e raciais que marcaram os anos iniciais do século XX. O vídeo que acompanha essa obra, Humor, Literatura e Publicidade, tem duração de 10min01.

O terceiro volume da coleção, de Martha Abreu, Da senzala ao palco: canções escravas e racismo nas Américas, 1870-1930, será lançado no início do segundo semestre de 2017. A obra trata das expressões musicais criadas por descendentes de africanos escravizados no Brasil e nos Estados Unidos, entre o final do século XIX e o início do século XX. Coloca em evidência a variedade dessa produção, o protagonismo dos músicos negros e sua entrada nos circuitos musicais e artísticos do período, em meio à construção de estereótipos racistas. O vídeo que acompanha essa obra, Canções Escravas e Racismo nas Américas, tem duração de 10min41.

_____________________

CECULT/Unicamp

Leia Também

Educação

,

Ética na Pesquisa

Educação

Posicionamentos da ANPEd

,

Educação