ANPEd Sul recebe I Fórum de Representantes Discentes dos PPGEDs da Região Sul | confira entrevista

A ANPEd Sul 2018 receberá entre os dias 23 e 26 de julho, na UFRS, o I Fórum de Representantes Discentes dos Programas de Pós-Graduação em Educação da Região Sul do Brasil. Confira entrevista com representantes dos coletivos que compõem o Fórum e entenda o contexto de criação deste espaço de representação, sua dinâmica e principais frentes de atuação e proposições.

Foto: Da esquerda para a direita: Diandra Dal Sent Machado (UFRGS), Daniel Bruno Momoli (UFRGS), Vanessa Goçalves Dias (UFRGS), Patricia Rutz Bierhals (UFRGS), Bernando Sfredo Miorando (UFRGS), Vanessa Porciuncula (UFRS), Diane Sbardelotto (UFRGS), Cristian Cipriani (PUC RS), Gabriela do Amaral Peruffo (PUCRS) e Fernanda Fatima Confferi 

Qual o objetivo do I Fórum de Representantes Discentes dos Programas de Pós-Graduação em Educação da Região Sul do Brasil?

Nossa aproximação ocorreu pelos interesses e dilemas que nos conectam  enquanto discentes de cursos de pós-graduação brasileiros: a necessidade de conhecer e dar visibilidade  às demandas das e dos estudantes de mestrado e doutorado; a discussão em torno da nossa representação em uma associação como a ANPEd; e a nossa participação na construção de estratégias de defesa das políticas de valorização da pesquisa, da pós-graduação e da produção de conhecimento no Brasil, com especial atenção à área da Educação. Trata-se de um trabalho organizativo, de base, que começará por levantar dados da vida material de pós-graduandas/os que são ignorados pelos atuais mecanismos de gestão e avaliação da pós-graduação. A partir dessa atividade, de pesquisa e de política, pretendemos apresentar encaminhamentos à ANPEd para discutir mais amplamente o caráter político e pedagógico da pós-graduação no Brasil. Assim, perspectivamos como um horizonte possível a realização de um Fórum Nacional das Representações Discentes dos Programas de Pós-Graduação em Educação, durante a 39ª Reunião Nacional da ANPEd, a ser realizado em 2019. Por isso nos interessa que estudantes de outras regiões fomentem a construção de espaços como este a fim de que possamos fazer a articulação de todas/todos as/os discentes.

Clique aqui e leia carta dos coletivos sobre o Fórum na ANPEd Sul 2018.

Como tem sido a articulação do Fórum e o que ele de forma geral pretende problematizar no contexto atual do pós na região?

A organização deste encontro está sendo feita pelos Coletivos de Representação Discente dos Programas de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA); da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e do Universidade La Salle (UNILASALLE). A proposta de organização do Fórum partiu do Coletivo de Representação Discente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS. A primeira ação do Coletivo foi o contato com o FORPREd Sul a fim de obter o contato com os demais programas da região. A partir dessa informação, iniciamos a nossa aproximação. A primeira reunião envolveu os Coletivos da UFRGS e da PUCRS, esboçando a proposta do encontro. Depois, uma segunda reunião foi organizada contando com os programas da região metropolitana de Porto Alegre a fim de iniciar os convites para os demais programas da região. Agora estamos na terceira etapa, que é a análise das informações enviadas pelos discentes dos demais programas para posteriormente elaborarmos a pauta do encontro.

Do nosso ponto de vista como discentes organizadas e organizados, o contexto atual torna mais urgente problematizar, como comunidade acadêmica, conceitos utilizados pela avaliação, como excelência, liderança, internacionalização, nucleação e solidariedade, trazendo a público o que elas significam para a formação e a vida de discentes de pós-graduação em Educação. Há um elemento econômico da crise que nos impacta de maneira intensa e mais visível nos programas de pós-graduação, que é o corte de recursos. Mas a crise tem também uma dimensão política: é uma crise da democracia em que os limites da representatividade estão sendo questionados. Nesse sentido, propomos o Fórum indagando também quais os espaços, tempos e modos de representatividade das pós-graduandas e dos pós-graduandos nas dinâmicas da pós-graduação e da pesquisa em Educação no Brasil.

Dado o contexto atual de crise e cortes na pós-graduação, como vocês têm percebido o quadro atual na região?

Entendemos que a pós-graduação brasileira tem se organizado historicamente segundo a ação estruturante da avaliação pela Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Esse processo, por sua vez, não tem reservado espaço para que as pós-graduandas e os pós-graduandos participem com o protagonismo que lhes é respectivo. Nós, que estudamos e trabalhamos com a área da Educação, sabemos também que o caráter pedagógico da pós-graduação é pouco discutido e não avaliado, sendo que a condição social de pós-graduanda/o não é objeto de consideração da avaliação e das demais políticas desse nível de ensino e produção de conhecimento.

Percebemos que os efeitos negativos do atual contexto político e econômico têm sido sentidos em todas as regiões do país. Há vários fatores que podem ser levantados, uma vez que a Região Sul tem a peculiaridade de ter uma grande concentração de programas de pós-graduação, em sua maioria bem avaliados pela Capes, que têm pronunciada capacidade de nucleação e solidariedade, formando profissionais e com capacidade para criar programas de Mestrado Interinstitucional - Minter e Doutorado Interinstitucional - Dinter com instituições de outras regiões do país. Assim, os cortes de recursos em programas de pós-graduação da Região Sul significam não só afetar a formação regional de pesquisadoras e pesquisadores, docentes do magistério superior, mas a construção de quadros nacionais. Se considerarmos que a expansão e a interiorização da pós-graduação em Educação se deu antes e de forma mais acentuada na Região Sul, podemos pensar que os limites atuais são mais severos para regiões com menor oferta de cursos, que tendem a encontrar dificuldades em se estabelecer e crescer. Isso aponta para a necessidade dos programas de pós-graduação da região intensificarem suas parcerias extrarregionais no contexto de crise. Especialmente para os programas considerados de excelência, há a responsabilidade político-pedagógica de construir pontes entre os programas em consolidação e os centros internacionais de excelência.

Nesse sentido, qual a importância da ANPEd Sul 2018 como espaço de apresentações científicas, debates acadêmicos e sociais/políticos para a Educação?

Consideramos a Reunião Científica da ANPEd como um relevante espaço de apresentação das pesquisas desenvolvidas em nível regional na área da Educação, mas reconhecemos também a sua importância política e histórica enquanto um evento organizado por uma entidade representativa da produção de conhecimento em Educação a nível pós-graduado. Entendemos que a XII Reunião da ANPEd Sul deverá debater o atual contexto que vivemos no Brasil e os efeitos no campo da educação, na pesquisa e na produção de conhecimento sem deixar de se manifestar em relação aos retrocessos ocorridos em nosso país desde o ano de 2016. Por isso, nós, discentes dos cursos de mestrado e doutorado propomos um encontro regional de estudantes a fim de que se possa constituir uma análise ampla sobre a defesa de políticas de valorização da pesquisa, da pós-graduação e da produção de conhecimento no Brasil.

Isso significa fazer com um chamamento para que o conhecimento educacional que produzimos nos programas de pós-graduação em Educação se voltem sobre as próprias práticas dentro dos programas e também sobre a avaliação, instrumento principal de gestão do Sistema Nacional de Pós-Graduação. Esse chamamento se faz desde o espaço da principal associação científica da área de Educação. Isso significa ampliar a politização desse espaço desde a base discente para que se reforce a crítica pedagógica aos processos estruturantes da pós-graduação e da pesquisa em Educação. Nesse sentido, a ANPEd Sul, como espaço de encontro, é um evento importante para afirmar duas compreensões. Junto à sociedade civil e política, fazer entender que a pesquisa é fundamental para o desenvolvimento do setor da educação nacional e, com ele, da melhoria das condições de vida da população brasileira. Junto à comunidade acadêmica, esclarecer que a pauta das condições de estudo, trabalho e sobrevivência das pós-graduandas e dos pós-graduandos - pesquisadores em formação - deve ser pauta da ciência e da pesquisa como um todo.

 

 

Leia Também

Institucional

Educação

Institucional

Institucional

Posicionamentos da ANPEd

Institucional

Institucional

Institucional