ANPEd realiza audiência com o Ministro Fernando Haddad

 

As professoras Dalila Andrade Oliveira e Leda Scheibe, presidente e vice-presidente, respectivamente, estiveram reunidas em audiência com o Ministro Fernando Haddad, na tarde de 25 de abril, segunda-feira passada.  Constava da pauta da referida audiência três pontos, o primeiro: a situação da área de Educação e do Ensino de Ciências e Matemática na Capes; a recente Portaria publicada pelo MEC concedendo bolsas aos alunos de mestrados profissionais à distância e; a recomposição do Comitê Técnico-Científico da Educação Básica na Capes. Nossas reivindicações levadas ao Ministro foram de que as indicações para composição das coordenações de área junto à Capes, realizadas por nossa área, bem como, as realizadas pela área de Ensino de Ciências e Matemática sejam reconhecidas e nomeadas pelo Conselho Superior dessa Agência; que a forma como estão organizadas nossas áreas na Capes são legitimas e correspondem às nossas identidades e, por fim, que qualquer reestruturação proposta às nossas áreas não sejam realizadas sem um amplo debate que envolvam os investigadores da área. Para esse ponto levamos e entregamos nas mãos do Ministro uma carta assinada por várias associações e os programas de pós-graduação em Educação e os programas de Ensino de Ciências e Matemática. Clique aqui para ler a carta.   

O Ministro demonstrou grande acolhimento às nossas reivindicações e críticas, ressaltou a importância de buscar o diálogo permanente e a negociação, comprometeu-se a reunir com o professor Jorge Guimarães, presidente da CAPES. Levamos ainda ao conhecimento do Ministro nossas críticas à recente Portaria publicada por ele concedendo bolsas para mestrado profissional à distância. Insistimos na necessidade de estimular, apoiar e incentivar os mestrados presenciais, já consolidados nos nossos 108 programas de Educação e Ensino de Ciências e Matemática, neste país. Ele ficou de analisar a questão, demonstrou ter se convencido de que as bolsas para o mestrado a distancia podem não ser a melhor  política para os fins perseguidos: melhorar a formação dos professores de Educação Básica em atividade nas redes públicas.

Por fim, pautamos a renovação do Conselho Técnico-Científico da Educação Básica na CAPES. Solicitamos que a consulta seja aberta às associações e sociedade científicas e entidades políticas que se relacionam com a Educação Básica no Brasil. 

Leia Também